O Union Berlim viveu uma temporada e tanto em sua estreia na Bundesliga. O clube da antiga Alemanha Oriental era um dos principais candidatos ao rebaixamento, mas o estilo de jogo pragmático e os bons resultados como mandante valeram a permanência na primeira divisão. A garantia veio nesta semana, com duas rodadas de antecipação, graças à vitória por 1 a 0 sobre o Paderborn – que, por tabela, terminou rebaixado. Mas a comemoração de jogadores e comissão técnica com um pequeno grupo de torcedores acabou rendendo uma multa aos berlinenses. Os valores não foram revelados.

A festa pela permanência aconteceu nos arredores do Estádio An der Alten Försterei. Com a presença da torcida do lado de fora, o elenco resolveu aproveitar e comemorar – seguranças faziam o isolamento entre torcedores e atletas. Por conta da celebração, o Union Berlim violou as recomendações sanitárias, especialmente contra as aglomerações. Já nesta sexta-feira, a DFL (entidade que organiza a Bundesliga) resolveu aplicar uma multa em dois jogadores e na agremiação.

O capitão Christopher Trimmel e o atacante Sheraldo Becker caíram no pente fino da DFL, por abraçarem os torcedores na celebração. Segundo o comitê disciplinar, ambos os atletas “obviamente violaram os padrões gerais de proteção contra a infecção e, em particular, os conceitos médicos propostos pela força tarefa da Bundesliga. Isso pode ser visto nas gravações de vídeo que foram publicadas nas redes sociais”. Já o Union será multado por uma “falha organizacional”.

Trimmel e Becker também passarão por procedimentos específicos. Ambos estão isolados do elenco e serão submetidos a novos testes de coronavírus, que precisarão dar negativo para que a reintegração seja permitida. Diretor do Union Berlim, Oliver Ruhnert defendeu seus jogadores antes do anúncio da punição, dizendo que a “maior parte da festa aconteceu à distância” e que este era um “assunto menor”. Os berlinenses visitam o Hoffenheim na rodada deste final de semana.