Em uma chave ao lado de Gana e Egito, além de Congo-Brazzaville, poucos apostariam em Uganda no páreo por uma vaga na Copa do Mundo. Os Grous, entretanto, terminam o primeiro turno da fase decisiva das Eliminatórias Africanas mostrando que suas ambições são enormes. Presente na última Copa Africana de Nações, após um hiato de 39 anos, o país não passou da fase de grupos – eliminado justamente em uma chave que contava com ganeses e egípcios. Experiência que parece ter sido fundamental aos ugandenses. Após empatar com Gana e vencer Congo nos primeiros compromissos, disputados antes da CAN, Uganda superou o Egito por 1 a 0 nesta quinta e assumiu o topo do Grupo E, com sete pontos – um a mais que os Faraós.

A festa aconteceu no Estádio Nacional Mandela, na cidade de Kampala. Por mais que o Egito tivesse jogadores bem mais tarimbados, a exemplo de Mohamed Salah e Mohamed Elneny, a seleção ugandense não se intimidou. A vitória por 1 a 0 saiu graças a um gol anotado por Emmanuel Okwi, principal referência ofensiva dos Grous, aos cinco minutos do segundo tempo. As arquibancadas não estavam completamente lotadas, mas a euforia foi imensa. Inclusive dos próprios jogadores, que pareciam já celebrar a vitória. Um feito e tanto para uma seleção que mal costuma aparecer entre as coadjuvantes na África.

Gana, com um ponto, fecha a rodada nesta sexta recebendo o Congo-Brazzaville. E, independentemente da disputa seja parelha, Uganda tem todo o direito de sonhar. Ainda pegará os Estrelas Negras em casa, além de visitar Egito e Congo-Brazzaville. O jogo contra os Faraós na próxima terça, em Alexandria, terá um peso imenso. Um empate já pode ajudar bastante os Grous, mantendo os egípcios um ponto atrás, com seis.