Corinthians e Palmeiras vinham de uma série de encontros recentes, de futebol pobre, mas que tornaram os rivais ainda mais íntimos durante os últimos meses. Os alviverdes levaram a melhor no Campeonato Paulista e, no primeiro embate pelo Brasileirão, reafirmaram sua superioridade. O time de Vanderlei Luxemburgo tinha uma estratégia e um repertório, que marcaram a vitória dentro da Neo Química Arena. Ainda que a expulsão de Fágner tenha condicionado o Dérbi, os palmeirenses se impuseram na casa dos corintianos para comemorar o triunfo por 2 a 0 e manter a invencibilidade na Série A.

Se o sistema defensivo é um trunfo do Palmeiras, essa seria a base da vitória em Itaquera. Os alviverdes se defenderam de maneira compacta e deram poucos espaços ao Corinthians. Saindo rápido ao ataque, o time de Luxa logo criou as primeiras chances. A arma principal dos alvinegros vinha nos chutes de longe de Otero e, graças a isso, a equipe de Tiago Nunes quase abriu o placar aos 12 minutos. O venezuelano soltou uma pancada de fora da área e estalou o travessão de Weverton. E seria a partir das finalizações do meia, sobretudo em bolas paradas, que os corintianos tinham sua única jogada.

O Palmeiras logo começaria a apresentar um pouco mais. A partir dos 20 minutos, os perigos alviverdes se tornaram constantes, mas faltava finalizar com um pouco mais de precisão. A equipe cresceu na partida e Cássio seria exigido a primeira vez aos 30, espalmando a tentativa de Wesley. Os jogadores invertiam posições e o ataque fluía, com Luiz Adriano e Lucas Lima participativos. Até que o lance crucial acontecesse aos 41: Wesley parou em Cássio no primeiro momento, mas Lucas Lima aproveitou o rebote com o goleiro batido. O chute parecia seguir para fora, mas Fágner meteu o braço na bola. Além do pênalti, a ação resultou na justa expulsão do lateral. Uma escolha pessimamente feita pelo veterano abriu o caminho ao Palmeiras.

Fágner trocou um lance que provavelmente nem seria gol por um pênalti aos rivais e também pela desvantagem numérica ao Corinthians. E, na marca da cal, Luiz Adriano começou a encaminhar a vitória ao deslocar Cássio para estufar as redes. Ramiro passou à lateral direita, mas os corintianos perderam um jogador essencial à sua saída de bola. Se já não era uma boa atuação do time de Tiago Nunes, o Palmeiras ficava ainda mais tranquilo para fazer sua estratégia e acelerar em seus contragolpes.

O Corinthians voltou ao segundo tempo com duas alterações, mandando a campo Éderson e Michel Macedo para recompor a lateral. Ainda assim, era o Palmeiras que criava os ataques mais concretos e parecia pronto ao segundo gol. Cássio voltaria a trabalhar em chute de Lucas Lima aos nove minutos, assim como Gabriel Menino aparecia. Aos 15, Luxa mandou a campo Willian e Gabriel Verón, depois que Luiz Adriano sentiu a coxa. E a dupla seria importante para sacramentar o resultado. Weverton teria dificuldades para rebater um chute de longe de Otero. Todavia, na sequência é que saiu o segundo tento palestrino.

Lucas Lima foi muito bem no lance, ao roubar a bola de Piton e já puxar o ataque. O meio-campista deu um cruzamento açucarado para Willian, que ajeitou dentro da área para Verón fuzilar e superar Cássio. Um gol que correspondia à estratégia palmeirense na noite e que valeu para Verón ganhar ainda mais elogios. Com o resultado, o Corinthians tentou avançar mais em campo e pressionar, mas pouco criava. Era uma partida inócua dos anfitriões, até mesmo pela desvantagem no número de homens, que não permitia tanta intensidade.

Mesmo protegendo o placar, o Palmeiras quase fez o terceiro, em lance corretamente anulado por impedimento aos 30. Os alvinegros tiveram algumas jogadas em que Jô reclamou de pênalti por encontrões na área e um chute de Michel que acertou a parte externa da rede, mas a situação era confortável aos alviverdes. E ficaria ainda melhor aos 40, quando uma entrada dura de Danilo Avelar em Patrick de Paula rendeu mais um vermelho. Contra nove, os palestrinos só precisaram deixar o tempo passar para comemorar uma vitória incontestável.

Mesmo ajudado pela expulsão de Fágner, o Palmeiras já vinha sendo melhor que o Corinthians no primeiro tempo e pôde garantir o resultado com mais tranquilidade. É um triunfo para aumentar a confiança dos alviverdes e apontar um norte, pela maneira como o ataque funcionou razoavelmente bem. Os palmeirenses ocupam o quarto lugar, com 16 pontos. Já o Corinthians segue oscilando e só venceu duas de suas primeiras oito partidas da Série A. É o 13° colocado, com nove pontos. Ainda que este não seja um resultado para se colocar na conta de Tiago Nunes, a falta de alternativas além de Otero pesou contra.

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore