O Barcelona não contratou Quique Setién para ganhar jogos de futebol. Contratou-o para ganhar jogos de futebol com o estilo que tanto permeou a história do clube catalão e que considerava perdido na passagem de Ernesto Valverde. Ele o fez, em sua primeira oportunidade, embora tenha sido difícil, mas a maneira como a equipe atuou e como foi construído o gol de Lionel Messi, o único na vitória por 1 a 0 sobre o Granada, no Camp Nou, neste domingo, deve ter deixado a torcida satisfeita.

Considerando o tamanho da admiração de Setién pelo craque argentino, foi muito apropriado que o primeiro gol do trabalho da sua vida tenha sido marcado por Messi, ao fim de uma bonita troca de passes pelo meio da área, em jogada que começou com uma bola roubada no campo de ataque.

Desde o primeiro tempo, ficou claro que Setién colocaria em prática as promessas que vinha fazendo desde que aceitou substituir Valverde. Escalou a equipe no 4-3-3, com Busquets de volante, Rakitic pela esquerda e Vidal pela direita. No ataque, Messi começou pelo meio, com Griezmann à esquerda e Ansu Fati à direita, mas de vez em quando invertia com o garoto de 17 anos.

Voltou a haver pressão alta para recuperar a bola e uma altíssima posse. Foi de 81% no primeiro tempo e terminou em 82%. No entanto, em parte pelo estágio precoce do trabalho, também repetiu-se o principal problema da passagem de Setién pelo Betis: a falta de finalizações. Foram apenas duas corretas no primeiro tempo e seis no total.

Mas o Barcelona foi perigoso além das estatísticas, com um total de 18 chutes e outras boas chegadas. A primeira chance de gol da era Setién foi de Fati, que recebeu de Griezmann dentro da área e exigiu defesa do goleiro Rui Silva. O garoto foi quem mais apareceu nos primeiros minutos. Bateu por cima de gol, desta vez após passe de Messi, e furou uma excelente oportunidade ao receber o cruzamento rasteiro de Jordi Alba na cara do gol.

O único chute do Granada no primeiro tempo surgiu de bola recuperada no campo de ataque, que Carlos Fernández aproveitou avançando pelo meio e puxando à perna esquerda antes de soltar um perigoso chute cruzado.

Messi quase fez o primeiro gol graças à sua tão afinada parceria com Alba, que recebeu pela esquerda e rolou para trás. O craque argentino chegou batendo de primeira com a canhota e assistiu à bola girar em direção ao gol e quase acertar a trave, mas foi para fora.

No começo do segundo tempo, Vidal tabelou com Messi e cruzou da direita. Não encontrou ninguém. Messi mandou seu chute característico de fora da área, e Rakitic também arriscou de média distância. Aos 11 minutos, o Granada assustou com um chute rasteiro de Eteki que acertou a trave direita de Ter Steven, e Griezmann exigiu defesa de Rui Silva com um chute forte pela esquerda.

Germán Sánchez recebeu o segundo cartão amarelo por falta em Messi e deixou o Granada com um a menos. Não demorou muito para o Barcelona aproveitar. Sete minutos depois, Riqui Puig roubou a bola na ponta esquerda e deixou com Busquets. O volante achou Messi, que tocou para Griezmann. Com um toque de primeira, a bola foi para Vidal, que dominou e arrumou de calcanhar. Messi recebeu na cara do goleiro e marcou com um toque de perna direita.

O placar poderia ter sido mais amplo, mas Rui Silva fez uma linda defesa em chute de Messi da entrada da área e Griezmann bateu para fora o passe que recebeu de Puig, ao fim de um contra-ataque. De qualquer maneira, o torcedor blaugrana que estava com saudades de ver o Barcelona jogar como ele acha que o Barcelona deve jogar voltou para casa feliz.

.

.

Classificações Sofascore Resultados

.

Classificações Sofascore Resultados