A Espanha começou o Campeonato Europeu Sub-21 tomando um baque, derrotada pela Itália de virada. Porém, dois jogos bastaram para a Roja se recuperar. Mais do que isso, dois jogos bastaram para a Roja se classificar às semifinais do torneio e também confirmar a presença nos Jogos Olímpicos de 2020. Na última rodada da fase de grupos, os espanhóis precisavam de uma vitória ampla sobre a Polônia para terminar na liderança e carimbar o passaporte rumo a Tóquio. Fizeram isso de maneira categórica, com a goleada por 5 a 0 em Bologna.

Somando três pontos, a Espanha necessitava derrotar a Polônia e tirar a diferença no saldo. Além do mais, tinha que ficar de olho no que aconteceria com a Itália, também na briga. Assim, os espanhóis cumpriram seu papel à perfeição. O primeiro gol saiu aos 17 minutos, em uma boa trama para Pablo Fornals concluir. Aos 35, veio mais um, em passe com açúcar de Dani Ceballos que Mikel Oyarzabal aproveitou. E cinco minutos depois já sairia o terceiro, num belo chute de Fabián Ruiz de fora da área.

Neste momento, a Espanha garantia a classificação, mas a diferença no saldo em relação à Itália (que vencia a Bélgica paralelamente) era mínima. Por isso, foi tão importante aumentar a contagem no segundo tempo. Ditando o ritmo no meio-campo, Ceballos fez seu merecido gol aos 26, numa cobrança de falta excepcional. Os italianos chegaram a abrir 3 a 1, o que ainda deixava os espanhóis ameaçados em caso de mais um gol da Azzurra ou da Polônia. Aos 45, Borja Mayoral passou a régua e fechou a contagem para afastar qualquer temor. A única notícia ruim da noite foi mesmo a lesão de Oyarzabal, substituído na etapa complementar.

A seleção sub-21 presente no Campeonato Europeu deve servir de base aos Jogos Olímpicos. Entre os jogadores aptos a Tóquio estão Mikel Oyarzabal, Carlos Soler, Borja Mayoral e Jesús Vallejo, todos nascidos a partir de 1997. Além do mais, o técnico Luis de la Fuente recebeu os elogios da imprensa espanhola pelo futebol ofensivo e com bom toque de bola apresentado pela Roja neste sábado. Bicampeã da competição continental em 2011 e 2013, a equipe tentará retomar sua coroa.

Já a Itália precisa torcer se quiser avançar. O time necessitava de uma combinação de resultados e até fez sua parte neste sábado, mas pagou o preço pelo revés diante da Polônia na rodada anterior. Aparece como o melhor segundo colocado do Grupo A, mas terá que secar os outros dois grupos – em especial o C, onde um empate entre Romênia e França bastará para classificar ambos. Os líderes de cada uma das três chaves do Europeu Sub-21 se classificarão às semifinais e ao torneio olímpico, enquanto a vaga derradeira fica com o melhor segundo colocado.