A goleada de 4 a 1 sobre o Shakhtar Donetsk, nesta quarta-feira, pela Liga dos Campeões, foi um sinal de alívio para o Milan após a crise deflagrada no último fim de semana. No último domingo, o time havia perdido por 1 a 0 para o Empoli em San Siro, onde ainda não venceu na Série A.

Para o técnico Carlo Ancelotti, a situação não era tão grave quanto parecia. “Evidentemente, não estávamos em uma crise tão profunda”, disse o treinador após a partida. “Não acabou tudo com essa partida. Nós nos encontramos melhor contra equipes que jogam mais abertas”.

Dois gols de Alberto Gilardino no primeiro tempo abriram o caminho para a vitória milanista. O gol de Cristiano Lucarelli no início da segunda parte assustou, mas Clarence Seedorf marcou duas vezes para selar o resultado. Além dos autores dos gols, Ancelotti também teve elogios para Kaká e para o goleiro Zeljko Kalac, autor de boas defesas.

“Fomos muito competentes e fomos favorecidos por dois gols no começo que nos permitiram jogar no contra-ataque. Kaká fez tudo e muito mais, foi devastador nas acelerações. Sobre a Bola de Ouro, ele não precisa provar nada, já fez muito. Esta noite ele foi muito ajudado por Gilardino. Quanto a Kalac, pareciam os tempos de Perugia. Vencer esta partida era muito importante”, concluiu.

O Milan lidera o grupo D com 6 pontos, mesma marca do Shakhtar. Benfica e Celtic têm 3 pontos cada.