Nem é mais novidade: o Manchester United acumulou o seu 14° empate em 34 partidas pela Premier League, o décimo em casa. O time de José Mourinho desta vez tropeçou em Old Trafford diante do ameaçado Swansea. E o lance mais bonito da tarde foi cortesia dos visitantes: Gylfi Sigurdsson acertou uma cobrança de falta perfeita para decretar o 1 a 1 no placar durante o segundo tempo. Ponto importantíssimo na corrida dos galeses contra a queda, enquanto o resultado mantém os Red Devils empacados fora da zona de classificação à Liga dos Campeões.

Em um jogo para José Mourinho lamentar, com as lesões de Luke Shaw e Eric Bailly, o United abriu o placar graças a um pênalti inexistente. Nos acréscimos do primeiro tempo, Marcus Rashford se jogou na área, simulando contato com Lukasz Fabianski. O árbitro caiu na dele e, na cobrança, Wayne Rooney mandou no cantinho. Já aos 34 da segunda etapa, Sigurdsson carregou mais uma vez o Swansea. Principal responsável pelos ataques de sua equipe, o islandês bateu falta com maestria. Ander Herrera até pensou em fechar o ângulo, mas deixaria o ataque inteiro dos adversários em posição legal. Talvez nem ele conseguisse tirar, com David de Gea só assistindo à bola entrar. O camisa 23 soma nove gols e 12 assistências, responsável direto por mais da metade dos gols dos Swans na campanha.

O Manchester United ocupa a quinta colocação, ainda atrás de Manchester City e Liverpool no Top Four. Chance de ouro desperdiçada pelos Red Devils. São 25 jogos de invencibilidade, maior série do clube na história do Campeonato Inglês, o que perde um bocado de brilho com o excesso de empates, 12 no período. Já o Swansea não escapa da zona de rebaixamento, mas permanece perseguindo o Hull City, que também empatou na rodada e aparece dois pontos à frente.