A primeira semana da Copa do Brasil já guardou suas boas surpresas. E, nesta quinta-feira, o Vitória-ES protagonizou a grande história do dia. Com o triunfo por 2 a 1, o Alvianil da Capital eliminou o CSA no Estádio Salvador Costa. Os alagoanos abriram o placar, mas os capixabas conseguiram buscar a virada e ainda se seguraram nos 20 minutos finais com um jogador a menos. E o tamanho da façanha se dimensiona ao próprio estado do Espírito Santo: esta é apenas a terceira vez que um time local conquista a vaga na segunda fase da Copa do Brasil.

Tradicional clube da capital, o Vitória está em sua quarta participação na Copa do Brasil. Em todas as aparições anteriores, não conseguiu superar a primeira fase. Até chegou a bater o Ipatinga em sua estreia no torneio, em 2007, mas tomou a remontada na volta e depois disso nunca mais venceu. E a classificação desta temporada representa demais, porque também rende um orçamento extra de R$650 mil aos cofres do Alvianil.

Nesta quinta, o CSA até esboçou um resultado fácil no Espírito Santo. Os alagoanos pressionaram desde os primeiros minutos e abriram o placar aos 21, com Allano aproveitando um rebote do goleiro. O Vitória, no entanto, cresceu na sequência da etapa inicial. Criou boas chances, acertou a trave e chegou ao empate aos 42, quando Cássio aproveitou uma cobrança de escanteio desviada no primeiro pau.

Já no início do segundo tempo, Edinho se tornou o salvador dos capixabas. O atacante decretou a virada com um chute no cantinho, ao soltar a bomba de fora da área. O CSA, que dependia apenas do empate para avançar, até ficou em vantagem numérica após a expulsão de Cássio, aos 28 minutos. Todavia, o Vitória se segurou na defesa e comemorou a histórica classificação. Pior aos alagoanos, que também não começaram bem no Nordestão e lidam com uma precoce crise neste início de temporada.

Este é o segundo ano consecutivo em que o representante do Espírito Santo avança na Copa do Brasil. Em 2019, o Serra conseguiu aprontar contra o Remo, ao conquistar a vitória por 1 a 0 na primeira fase. Os corais cairiam na etapa seguinte, superados pelo Vasco. Até então, o único capixaba a se classificar na Copa do Brasil tinha sido o Linhares, 25 anos antes. A Coruja Azul, com um time histórico em 1994, fez a melhor campanha do Espírito Santo nos torneios nacionais. Eliminou Fluminense, São José-AP e Comercial-MS, antes de sucumbir ao Ceará na semifinal. Vale dizer que a Desportiva chegou a avançar em 2013, mas em uma fase preliminar criada pela CBF. A Locomotiva Grená derrotou o Atlético Acreano, antes de cair contra o Figueirense na primeira fase.

Por coincidência, o Figueirense será também o adversário do Vitória na segunda fase da Copa do Brasil de 2020. Por aquilo que já aconteceu contra o CSA, o Alvianil da Capital pode criar esperanças de mais uma boa atuação. Uma nova classificação renderia R$1,5 milhão ao vencedor. A bolada ajudaria os capixabas na montagem de um time mais competitivo à Série D, garantidos no torneio após o título estadual em 2019. O futebol do Espírito Santo, que já teve sua tradição nas principais divisões de acesso do país, merece um pouco mais de relevância. Vitória e Serra valorizaram isso nestes feitos recentes pela Copa do Brasil.