Era a final da Liga dos Campeões. Ninguém havia feito gol no tempo normal. Mesmo nos pênaltis, apenas um atleta de cada lado tinha convertido a sua cobrança. A oitava seria responsabilidade de um zagueiro, mas Gianluigi Buffon estava atento. Conhecia o oponente. Sabia que não deveria esperar um chutão no meio do gol. Mesmo pouco afeito aos gols, Alessandro Nesta tinha classe demais para isso. Tanto que converteu o penal, decisivo no título do Milan, com um chute colocado, no canto, longe do alcance dos dedos do goleiro da Juventus.

Foi apenas uma pequena demonstração, na verdade, da classe que Nesta apresentou com as camisas de Lazio, Milan, seleção italiana e Montreal Impacts, o último clube do zagueiro que vai encerrar a sua carreira junto com a atual temporada da Major League Soccer. O último jogo da primeira fase é no sábado, contra o Toronto, fora de casa. O time canadense está na briga por uma vaga nos playoffs.

A aposentadoria do jogador de 37 anos encerra, pelo menos por enquanto, uma tradição italiana de defensores que se destacaram muito mais por técnica, velocidade e inteligência do que por força bruta. Zagueiros que se especializaram em interceptações precisas, sempre com a cabeça erguida. Como Paolo Maldini e Franco Baresi. Como Alessandro Nesta.

Os árbitros não gostam de zagueiros que jogam deitados, mas Nesta dificilmente errava um carrinho. Fazer essa jogada dentro da área, com uma taxa de acerto tão alta quanto a dele, é tão difícil, talvez, quanto ganhar um Campeonato Italiano pela Lazio. E ser campeão do mundo pela Itália. E bi europeu pelo Milan.

A contribuição dele para os 18 títulos que conquistou foi preponderantemente defensiva. A história conta com alguns zagueiros artilheiros, mas Nesta definitivamente não foi um deles. Em mais de 600 jogos por clubes, marcou 10 vezes pelo Milan e três pela Lazio. Vestiu a camisa da Itália em 78 partidas e nunca teve o gostinho de comemorar um gol representando o seu país.

Giorgio Chiellini e Andrea Barzagli são bons zagueiros, mas nenhum deles tem a classe de Nesta. O objetivo da próxima lenda italiana aposentada é tirar alguns meses de férias e se tornar treinador. Talvez consiga, com a prancheta na mão e autoridade de campeão do mundo, formar os próximos defensores que vão jogar de cabeça erguida e peito estufado.

Não lembra de Alessandro Nesta? Reunimos alguns vídeos para você refrescar a memória: