Com apenas uma vitória nas cinco partidas anteriores, o Grêmio viajou a Santiago para enfrentar um jogo duro na Copa Libertadores. Líder absoluta no Campeonato Chileno, a Universidad Católica precisava buscar o prejuízo pelo mal início no torneio continental. Enfrentaria um adversário em crise, com questionamentos sobre o trabalho de Renato Portaluppi e a verdadeira qualidade do elenco tricolor. Pois o resultado no Estádio San Carlos de Apoquindo aprofunda as críticas em Porto Alegre. Os Cruzados dominaram a partida, numa atuação muito ruim do Grêmio. A vitória por 2 a 0 até pareceu pequena à superioridade dos chilenos, que botam pressão sobre os gaúchos justamente antes do Gre-Nal do Beira-Rio.

Com muitos desfalques (incluindo Maicon, Pepê e Jean Pyerre), o Grêmio tinha três jogadores que estreavam na Libertadores como titulares. E a Universidad Católica precisou de segundos para colocar os visitantes contra a parede, mostrando como seria a partida. Logo surgiram as primeiras tentativas dos Cruzados, com Vanderlei intervindo em tiro de Edson Puch. O Tricolor até realizou uma boa jogada na sequência, com Luiz Fernando, anulada por impedimento. Mas o controle do jogo era da Católica, que trabalhava a bola com mais qualidade no meio-campo e estava muito mais ligada na recuperação. Faltava energia e organização aos gremistas.

Se a partida se desenrolava a favor da Universidad Católica, o gol passou a amadurecer a partir dos 30 minutos, quando os espaços perto da área adversária começaram a surgir. José Pedro Fuenzalida triscou a trave num chute forte, antes de Fernando Zampedri parar em Vanderlei no mano a mano. Como se não bastasse, Geromel se machucou aos 40, substituído por Rodrigues. E se o empate parecia lucro ao Grêmio àquela altura, a merecida vitória se desenharia à Católica logo na sequência. Zampedri marcou quando teve outra oportunidade, aos 44. Num cruzamento de Ignacio Saavedra que César Pinares deu uma casquinha, Zampedri fuzilou. E o segundo gol não tardaria, nos acréscimos.

O tento de Pinares é simbólico, tanto pela facilidade da Católica quanto pela passividade da defesa do Grêmio. Luciano Aued, que já tinha dado um bom passe na construção do primeiro gol, lançou com a parte de fora do pé no segundo. Rodrigues chutou o ar na tentativa de cortar e, logo no domínio, Pinares deu um chapéu em Vanderlei. Para complementar, o meia só escorou a bola com a cabeça e estufou as redes. Zampedri ainda perdoou mais uma vez antes do intervalo, após vacilo de David Braz. O resultado parcial era muito mais condizente à tranquilidade dos Cruzados e à apatia do Tricolor.

O início do segundo tempo mantinha os rumos da partida. A Universidad Católica mandava em campo e não deixava o Grêmio avançar, dentro das características dos trabalhos de Ariel Holan. O meio-campo tricolor seguia como um grande latifúndio e, na tentativa de preenchê-lo melhor, Renato colocou Robinho e também Ferreirinha. Nada que contribuísse tanto. Aued desperdiçou a chance do terceiro e os gremistas respiravam aliviados por não sofrerem uma goleada. Enquanto Fuenzalida era muito ativo no apoio, quem brilhava era Puch, orquestrando os Cruzados em seu baile. Do outro lado, Diego Souza era o único que se salvava, mas não fazia muito sem que a bola chegasse até ele.

Se o Grêmio não tinha saída ao ataque, também não transmitia segurança na defesa e parecia propenso a tomar mais um gol a qualquer momento. Deu sorte, já que Zampedri falhou em mais um lance, após rebote de Vanderlei em arremate de Aued. O goleiro, fazia boas defesas, mas sofria com os venenosos escanteios fechados dos anfitriões. Com o passar dos minutos, a Católica tirou o pé do acelerador e passou a administrar o resultado, substituindo parte de seus homens de frente. Uma reação do Tricolor parecia impossível, diante da falta de futebol. E ficou ainda pior aos 40, com a expulsão de David Braz, ao receber o vermelho direto por entrada dura em Puch numa chance manifesta. A partir de então, era só esperar o apito final, por mais que os Cruzados insistissem no terceiro.

Com quatro pontos, o Grêmio está numa posição incômoda no Grupo E da Libertadores, apesar da vice-liderança. O Inter abre vantagem na ponta, após a vitória sobre o América de Cali, enquanto os outros dois concorrentes aparecem encostados. Na próxima semana, há a volta do Gre-Nal na casa dos rivais. E Renato precisará se virar com os desfalques, sobretudo na defesa, torcendo para que os lesionados se recuperem. Já a Católica, pelo que fez nesta quarta, tem bola para brigar pela classificação. Para tanto, terá que manter a forma na visita ao América de Cali, após a derrota para os colombianos em Santiago na rodada anterior.

Católica x Grêmio (Fonte: Soccerway)

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore