A Bombonera abarrotada garantiu uma tarde inesquecível ao Boca Juniors antes da superfinal

Boca Juniors abriu os portões para treino às vésperas da final e sentiu toda a energia de sua torcida, fazendo as arquibancadas tremerem

O Boca Juniors enfrentará um ambiente totalmente alheio a si no segundo jogo da superfinal da Copa Libertadores. Em tarde de torcida única, o Monumental de Núñez inteiro apoiará o River Plate. Os xeneizes terão a chance de calar as arquibancadas, como ocorreu nas semifinais de 2004. Entretanto, preferiram sentir o calor de sua torcida às vésperas da decisão, nesta quinta-feira. O time de Guillermo Barros Schelotto realizou um treino aberto em La Bombonera. Com entradas gratuitas, as tribunas abarrotadas geraram imagens fantásticas, enquanto outros milhares de torcedores se amontoaram nos arredores do estádio.

Além de realizarem as atividades propostas por Schelotto, os jogadores puderam sentir toda a energia da torcida. Saudaram as arquibancadas antes do treinamento e, depois, puderam absorver a vibração durante o agradecimento final. “Jogadores, jogadores, não te dizemos mais, a Copa Libertadores de La Boca não se vai…” era a canção mais entoada, com a torcida pedindo também para que “as galinhas esperem um pouco mais”.

Já a cena mais emblemática aconteceu quando um torcedor invadiu o campo. As forças policiais começaram a tirá-lo do local, mas Carlos Tevez foi a seu encontro e o abraçou. Depois de mais algum tumulto, o fanático aceitou sair, mas antes ganhou de presente a camisa usada por Carlitos. Nas tribunas, os demais xeneizes aplaudiam o gesto. União que culminou no ‘Bombonerazo’ e que, esperam os xeneizes, resulte em mais algumas cenas memoráveis na noite de sábado, já com o troféu em mãos.