Nove vitórias na atual temporada da Bundesliga, 999 na história da competição. Tem vezes que o Bayern de Munique parece ganhar jogos por osmose. É o caso deste sábado, diante do Werder Bremen no Weserstadion.  Os bávaros jogaram apenas para o gasto, não exerceram a pressão que estão acostumados e até tomaram sufoco no segundo tempo. Mesmo assim, ficaram com os três pontos, graças ao gol de Thomas Müller que garantiu o triunfo por 1 a 0. O time de Pep Guardiola chega a 27 pontos na liderança, mantendo a boa vantagem de sete pontos sobre o Borussia Dortmund, segundo colocado. Já os Verdes permanecem próximos da zona de rebaixamento, duas posições acima.

O Bayern registrou suas piores marcas ofensivas da temporada. Foram apenas 13 finalizações durante os 90 minutos, das quais apenas quatro no gol – menos da metade de sua média na Bundesliga, de 8,2 por jogo. A primeira demorou 23 minutos, mas acabou nas redes. E muito graças à visão de jogo excepcional de Thiago Alcântara. Vivendo grande momento, o camisa 6 deu um passe diagonal fantástico para Thomas Müller. O cochilo da defesa também colaborou e, sem ser acompanhado por ninguém, o alemão teve pouco trabalho para vencer o goleiro.

No mais, o Bayern teve volume, chegando a 80% de posse de bola durante o primeiro tempo. Porém, faltou ser bem mais feroz como nas últimas partidas. Mesmo Robert Lewandowski não foi bem, e depois de 15 gols nos seis jogos anteriores, passou em branco. Além disso, a equipe careceu de jogadas pelas pontas, especialmente pela ausência de Douglas Costa e Kingsley Coman, que ocupam o setor. Já no segundo tempo, os bávaros se acomodaram. E não seria surpreendente se o Werder empatasse. Anthony Ujah teve duas excelentes chances que desperdiçou, uma delas defendida por Manuel Neuer. Serviu para evitar o tropeço.

Ao Bayern, resta desfrutar da tranquilidade antes de uma semana difícil, em que fazem o seu jogo mais importante na fase de grupos da Champions, visitando o Arsenal em Londres. Em um time com tantos individuais, é possível se dar ao luxo de uma atuação coletiva sem tantos acertos. Os grandes jogadores só precisam de um lampejo para decidir. E hoje foi o dia de Thiago Alcântara.