Atual campeão da Série D, o Brusque se tornou figurinha carimbada na Copa do Brasil durante os últimos anos, com quatro participações consecutivas. Sua melhor campanha aconteceu em 2017, quando eliminou o Remo na primeira fase e só caiu nos pênaltis contra o Corinthians no compromisso seguinte. Já nesta quarta-feira, o Quadricolor conquistou um resultado ainda mais expressivo: eliminou o Sport, dentro do Estádio Augusto Bauer. Os catarinenses abriram o placar, permitiram o empate e buscaram a vitória por 2 a 1 durante o segundo tempo. Já nos minutos finais, uma lambança da arbitragem gerou uma confusão desnecessária, mas a justiça foi feita e os anfitriões tiveram sua classificação confirmada.

Durante um primeiro tempo aberto, o Sport chegou a perder um gol feito, mas o Brusque era mais agressivo e abriu o placar aos 23. Cruzamento para o artilheiro Edu cabecear firme e estufar as redes. O empate do Leão aconteceu aos 35, quando Raul Prata cobrou falta no travessão e Leandro Barcia não perdoou no rebote. Precisando do triunfo, o Brusque era quem mais buscava o ataque. Foram mais três ótimas oportunidades, até que o gol da classificação saísse aos 36 do segundo tempo. Mais uma bola alçada na área, para o zagueiro Ianson definir.

O Sport tentava o empate salvador no final. Foi então que aconteceu o momento mais patético da noite. Durante os acréscimos, uma falta nas imediações da área dava a chance aos rubro-negros de mandarem o chuveirinho. Raul Prata cruzou em direção à pequena área e Elton disputou no alto com o goleiro Zé Carlos. A falta era clara e, como se não bastasse, depois que o arqueiro soltou a bola, o atacante desviou com o braço. Ainda assim, o árbitro Douglas Marques das Flores validou o tento duplamente irregular. A assistente Fabrini Bevilaqua Costa também correu para o meio-campo.

Os jogadores do Brusque correram indignados para cercar o juiz. Sem o auxílio do VAR, foi necessária uma reunião do quarteto de arbitragem, protegido pela tropa de choque, para confirmar o óbvio: o tento era irregular. Com o Brusque aliviado, o time do Sport também foi questionar Douglas Marques das Flores depois da mudança na decisão. Não tinham razão, e a confusão gerou uma paralisação total de quase dez minutos. Ao final, nem havia muito clima para retomar a partida. E o Quadricolor, enfim, pôde comemorar sua vitória.

A classificação na Copa do Brasil enfatiza um pouco mais o crescimento recente do Brusque. E o resultado ainda é importante aos cofres dos catarinenses, rendendo mais R$650 mil em premiação. Na próxima fase, as chances seguem palpáveis num reencontro ao Quadricolor: pegam novamente o Remo, sua vítima em 2017. Às portas da participação na Série C, o clube se referenda, com um bom começo no Campeonato Catarinense e também a vitória contra um adversário de Série A na Copa do Brasil.