Cesc Fábregas começou a temporada como reserva do Chelsea e as especulações nos sempre muito agitados tablóides ingleses, que adoram um boato, já colocavam o jogador como fora dos planos do técnico Antonio Conte. Foi com um golaço do espanhol e mais algumas boas defesas do goleiro belga que o técnico italiano conseguiu levar o Chelsea à sua 10ª vitória na Premier League. Cada vez mais consistente. O Sunderland, lanterna, até deu mais trabalho do que se esperava, mas acabou derrotado por 1 a 0 mesmo jogando no Stadium of Light, sua casa.

LEIA TAMBÉM: Lallana já fo bem criticado no Liverpool. Agora, merece ser aplaudido

O Chelsea entrou com duas mudanças. Uma obrigada, outra por opção. A obrigada foi a ausência de Eden Hazard, que está machucado e deu espaço para Willian voltar ao time titular. A outra foi a escalação de Fàbregas no lugar de Matic, que ficou no banco de reservas. O camisa 4, aliás, já tinha substituído o sérvio quando este ficou suspendo e ido muito bem. Conte resolveu apostar nele mais uma vez. E ele não desperdiçou a chance de abraçar a titularidade.

O espanhol é sem dúvida um jogador mais ofensivo que Matic, ainda que o volante sérvio também tenha bastante qualidade técnica. Fàbregas é um jogador que chega melhor ao ataque e tem um passe preciso, tanto curto quanto longo. Desta vez, porém, foi o seu chute colocado que gerou o gol em um ataque bem trabalhado, junto com Willian. Ele tocou para o brasileiro, que ajeitou para o próprio espanhol, na entrada da área. Belo gol.

No segundo tempo, a defesa do time do Chelsea teve que trabalhar mais. O Sunderland, desesperado por mais uma campanha terrível, foi para cima como conseguiu, com as suas armas. Usou um tipo de jogo típico do futebol inglês: muita correria, bola na área e um jogo muito físico. Em um time que não tem recursos técnicos fartos com o Sunderland, foi o que deu para fazer. E mesmo assim, o time tem alguns bons valores individuais, ainda que não para grandes clubes do mundo. Um deles é Adnan Januzaj, por exemplo, que está emprestado pelo Manchester United, além de Defoe, atacante veterano, ex-Tottenham e seleção inglesa.

Cortois se tornou uma figura chave na segunda etapa com participações fundamentais. Suas defesas ajudaram a impedir a abertura do placar quando a defesa não conseguiu impedir a finalização. No último minuto, em um chute que ia para o ângulo, o belga se jogou na bola e fez uma defesaça.

São 10 vitórias seguidas do time de Stamford Bridge. Iguala, assim, a maior sequência de vitórias na Premier League de sua história, da temporada 2004/05. O time abriu seis pontos na liderança da tabela, que agora tem o Liverpool como segundo colocado.