Menos de 24 horas depois de conquistar a América do Sul, o Flamengo, ainda no êxtase de seu triunfo na Libertadores, viu o Palmeiras tropeçar e, assim, garantiu também o título do Campeonato Brasileiro, tornando-se o primeiro clube do país a levar na mesma temporada os troféus da liga nacional e da copa continental desde o Santos de Pelé, em 1963.

Evidentemente, por seu peso maior e também pela fila de 38 anos, a conquista da Libertadores levará quase todos os holofotes. Mas vale a pena rememorar a campanha da conquista do sétimo título do time no Brasileirão. Foi lá, afinal, o principal laboratório para a criação deste já icônico Flamengo de Jorge Jesus.

Com isso, voltamos lá atrás, até o início da campanha no Campeonato Brasileiro, ainda com Abel Braga, para traçar uma linha do tempo com partidas que marcaram a conquista rubro-negra. De vitórias incontestes a uma derrota dolorida, passando por momentos de brilho individual e também de loucura completa no placar, revivemos aqui os dez capítulos principais da bela história escrita pelo Flamengo no Brasileirão.

Flamengo 3 x 1 Cruzeiro

27/04 – 1ª rodada

O Flamengo era comandado por Abel Braga e jogava um futebol distante do que consolidou com Jorge Jesus. Ainda assim, a estreia do time no Campeonato Brasileiro de 2019 precisa estar na galeria de jogos mais marcantes da campanha rubro-negra.

O clube vinha de derrota na Libertadores e, na estreia na competição, enfrentaria o único time da Série A invicto na temporada. No Maracanã, depois de sair perdendo por 1 a 0, foi buscar a virada com boa atuação de Bruno Henrique, autor de dois tentos, e gol de Gabigol: 3 a 1.

O jogo marcou ainda a despedida do zagueiro Juan, que encerrava sua carreira e se despediu de 30 mil torcedores no Maracanã.

Flamengo 3 x 2 Athletico Paranaense

26/05 – 6ª rodada

Em partida representativa do momento que vivia, o Flamengo, pouco menos de um mês depois da estreia no Brasileirão, jogava mal contra os reservas do Athletico Paranaense, que se poupava para a Recopa Sul-Americana. Abriu o placar com Gabigol, mas tomou a virada por 2 a 1 com dois gols de ninguém menos que Marcelo Cirino. No abafa e no fim do jogo, o time da casa conseguiu tomar a frente no placar e vencer por 3 a 2, com Bruno Henrique e Rodrigo Caio marcando. Xingado pela torcida, Abel Braga deixou o campo abraçado pelos jogadores e emocionado pelo apoio de seu elenco.

Flamengo 6 x 1 Goiás

14/07 – 10ª rodada

Depois de estrear com empate no comando do Flamengo, pela Copa do Brasil, Jorge Jesus não poderia ter dado melhor cartão de visita em seu primeiro jogo no Brasileirão. O 6 a 1 sobre o Goiás no Maracanã sublinhava toda a expectativa da torcida alvinegra com o seu técnico europeu. Mais de 65 mil pessoas estiveram no estádio e viram Rafinha estrear e Arrascaeta comandar o show, com três gols e duas assistências. Gabigol, duas vezes, e Bruno Henrique, fizeram os outros gols. O desempenho jogou para o alto o sarrafo de cobrança sobre o rubro-negro, que na sequência abriria caminho para críticas, logo rechaçadas com mais bom futebol.

Bahia 3 x 0 Flamengo

04/08 – 13ª rodada

Era apenas o quarto jogo de Jorge Jesus no Brasileirão, e o Flamengo já havia dado adeus à Copa do Brasil, eliminado pelo Athletico Paranaense de Tiago Nunes. O técnico português tinha também recentemente passado por pressão em embarque para o jogo contra o Corinthians, após a eliminação. Filipe Luís, que chegara depois de Rafinha, faria enfim sua estreia – e o jogo mostrou que o lateral esquerdo precisava de mais adaptação antes de ser lançado. Em duelo marcado por show de Gilberto, autor de três gols, falha de Diego Alves e imagem de Filipe Luís sendo batido com facilidade na corrida pelo ataque tricolor, o Rubro-Negro foi derrotado por 3 a 0 e garantiu a alegria de quem secava o estrelado elenco e seu técnico estrangeiro.

Vasco 1 x 4 Flamengo

17/08 – 15ª rodada

O jogo logo depois da derrota para o Bahia já foi uma resposta em si, com o 3 a 1 em casa sobre o Grêmio, mas a rodada seguinte a esta foi a de consolidação. Jogando em Brasília, em partida que o Vasco decidiu levar para o Mané Garrincha, o Flamengo foi avassalador. Atropelou o rival por 4 a 1 em partida repleta de histórias. Diego Alves, criticado, brilhou ao defender dois pênaltis. Bruno Henrique, como seria cada vez mais comum, foi o nome do jogo, enquanto Gabigol foi duas vezes às redes para justificar o apelido – e, pela primeira vez, comemorar levantando o cartaz de “Hoje tem gol do Gabigol”.

Flamengo 3×0 Palmeiras

01/09 – 17ª rodada

Flamengo comemora gol contra o Palmeiras (Foto: Getty Images)

Então postulante sério ao título, mas em declínio, o Palmeiras era comandado por Felipão e tentava mostrar que tinha fôlego para reagir. No entanto, pela primeira vez nesta última passagem do técnico do penta mundial, sofreu três gols em um só jogo – suficiente para custar a Scolari o seu cargo. O 3 a 0 no Maracanã, cortesia de Gabigol (2) e Arrascaeta, veio após uma semana em que muito se discutiu qual das equipes tinha o melhor elenco. A tranquilidade com que o Rubro-Negro passou por cima do Alviverde já indicava que não haveria adversário páreo ao time de Jorge Jesus, que ia ganhando cada vez mais ímpeto.

Flamengo 1 x 0 Santos

14/09 – 19ª rodada

Àquela altura, Jorge Jesus já não era mais tão questionado. Seu trabalho convencera a maioria, e o duelo com o Santos de Jorge Sampaoli era muito esperado. Dois técnicos de estilos incomuns ao futebol brasileiro: ousados o suficiente para buscar o gol – e seguir perseguindo a rede mesmo depois de marcar. Ainda por cima, era luta pela liderança. A partida acabou sendo bastante disputada, e sua definição não podia ter outro personagem principal. Gabigol, com uma pintura, definiu a vitória por 1 a 0.

Fortaleza 1 x 2 Flamengo

16/10 – 26ª rodada

Um dos jogos imediatamente rotulados como “de campeão”. Isso já dá a tônica do 2 a 1 do Flamengo sobre o Fortaleza, no Castelão. O pré-jogo foi quente, com um mosaico do time da casa provocando os torcedores “mistos” flamenguistas – um Cristo Redentor com chapéu de cangaceiro, que trocava a camisa do Rubro-Negro pela do Tricolor. Em campo, o Fortaleza fazia um jogo eficiente, e o Flamengo, com cinco desfalques em toda a extensão do campo, tinha dificuldades e saiu perdendo por 1 a 0. Eis que o predestinado Reinier, motivo de disputa durante a semana entre clube e CBF, que o convocara para o Mundial Sub-17, apareceu aos 45 minutos do segundo tempo para decretar a virada por 2 a 1 (Gabigol havia empatado sete minutos antes).

Flamengo 4 x 1 Corinthians

03/11 – 30ª rodada

Nos dias que antecederam o encontro entre Flamengo e Corinthians no segundo turno do Brasileirão, as comparações eram inevitáveis. Tratava-se de um confronto de ideias: o ofensivo Jorge Jesus contra o pragmático e defensivo Fábio Carille. Nas vésperas da partida, o então técnico corintiano falou que não via “nada de inovação” no Rubro-Negro e que já tinha feito o mesmo no Corinthians. Avancemos para depois da partida: Flamengo 4 a 1, hat-trick de Bruno Henrique, e Carille demitido após oito jogos sem vitória.

Flamengo 4 x 4 Vasco

13/11 – 34ª rodada

Bruno Henrique em jogo do Flamengo contra o Vasco, no Maracanã (Foto: Getty Images)

Nem todo jogo memorável seria vitória ou derrota. E o Flamengo 4×4 Vasco transcendeu qualquer saldo, de qualquer forma. Um jogo para entrar para a antologia do duelo. Teve gol precoce, empate tardio, golaços, lances individuais marcantes. Virada – viradas, diga-se. Teve cartões, e também confusão. Teve oito gols. Teve Éverton Ribeiro, Bruno Henrique e mais Bruno Henrique. E Marrony, Pikachu, Marcos Junior e Ribamar. É verdade que falamos de uma partida mais saborosa aos vascaínos, que encararam de igual para igual o rival multimilionário e multicampeão e buscaram o empate nos acréscimos do jogo. Ainda assim, os aplausos do Maracanã logo após o fim da partida avalizavam um acordo mútuo entre os oponentes: a noite seria lembrada com carinho por ambos – e também pelos neutros.